Bem vindo ao CanalNoite A Sua Noite Passa por Aqui + de 20 anos no ar

Want to Partnership with me? Book A Call

Popular Posts

Dream Life in Paris

Questions explained agreeable preferred strangers too him her son. Set put shyness offices his females him distant.

Hot

Categories

Edit Template

Burkina Faso é nomeada a crise mais negligenciada do mundo, de novo


Burkina Faso foi considerada a crise de deslocamento mais negligenciada do mundo pelo Conselho Norueguês para os Refugiados (CNR) pelo segundo ano consecutivo.

No seu relatório anual, divulgado na segunda-feira (3), o CNR disse que o país da África Ocidental registou um recorde de 707.000 novos deslocamentos em 2023, impulsionados pela escalada da violência e pelo agravamento da crise humanitária.

Nove das 10 crises mais negligenciadas descritas no relatório ocorreram na África.

O CNR afirmou num comunicado de imprensa na segunda-feira (3) que os seus critérios para crises de deslocamento negligenciadas são: “falta de financiamento humanitário, falta de atenção da mídia e falta de iniciativas políticas e diplomáticas internacionais em comparação com o número de pessoas necessitadas”.

O relatório do CNR afirma que 2023 registou um défice recorde nos orçamentos de ajuda de cerca de US$ 32 bilhões, deixando mais de metade das necessidades humanitárias em todo o mundo sem qualquer atendimento.

A negligência se tornou “o novo normal”

O relatório afirma que a cobertura mediática da crise de deslocação no Burkina Faso e o envolvimento político internacional com a crise foram “insignificantes” em 2023, acrescentando que apenas 37% do financiamento humanitário solicitado foi recebido pelo país, deixando uma lacuna significativa na ajuda.

“A negligência total para com as pessoas deslocadas tornou-se a nova normalidade”, disse Jan Egeland, Secretário-Geral do NRC.

“As elites políticas e militares locais ignoram o sofrimento que causam e o mundo não fica chocado nem obrigado a agir em decorrência das histórias de desespero e estatísticas recordes. Precisamos de uma retomada global da solidariedade e de uma reorientação para onde as necessidades são maiores”.

O relatório acrescenta que a cobertura mediática no Burkina Faso também diminuiu à medida que “o acesso se tornou mais difícil tanto para os jornalistas como para as organizações humanitárias”.

O Burkina Faso está atualmente sob regime militar depois de uma junta ter dado um golpe de Estado em julho de 2022. A junta, chefiada pelo presidente em exercício, capitão Ibrahim Traore, deu prioridade à segurança devido às múltiplas mortes causadas pelos ataques.

Mas em abril deste ano, um relatório da Human Rights Watch (HRW) concluiu que mais de 200 pessoas foram mortas pelos militares do país numa campanha contra civis acusados ​​de colaborar com grupos armados, alegando que estes poderiam constituir crimes de guerra.

Burkina Faso disse que “rejeita e condena firmemente tais acusações infundadas”, num comunicado de imprensa do governo.

O órgão regulador da mídia do país, o Conselho Superior de Comunicação, anunciou nos dias seguintes que suspendia temporariamente a transmissão e o acesso a sites de algumas organizações de notícias ocidentais, incluindo a francesa TV5 Monde e Le Monde, o Guardian, bem como a BBC Africa e a VOA.

A República Democrática do Congo (RDC) continuou a ser uma das crises mais negligenciadas pelo oitavo ano consecutivo, com cerca de 6,9 ​​milhões de pessoas deslocadas até ao final de 2023, principalmente nas províncias orientais, afirma o relatório.

A falta de ajuda forçou as pessoas a recorrer a mecanismos de sobrevivência degradantes, incluindo a troca de favores sexuais por comida, dinheiro e outras necessidades de sobrevivência, afirma o relatório.

O Sudão ficou em décimo lugar. Embora a guerra que eclodiu em abril do ano passado tenha resultado num número de mortos de dezenas de milhares, em mais de oito milhões de pessoas deslocadas internamente e em quase 25 milhões de pessoas necessitadas de ajuda, o CNR observou que a crise foi “grosseiramente negligenciada”.

Ataques recorrentes

As mortes relacionadas com a violência no Burkina Faso duplicaram em 2023, de acordo com o NRC. O país enfrenta ataques recorrentes, muitas vezes atribuídos a “terroristas”.

Em fevereiro do ano passado, o assassinato de dois trabalhadores humanitários da ONG Médicos Sem Fronteiras levou a organização a suspender as atividades na região. No final do ano, cerca de dois milhões de pessoas estavam presas em 36 cidades bloqueadas, com mais de 40 mil enfrentando uma catastrófica insegurança alimentar, segundo o relatório.

Uma mãe deslocada no norte do Burkina Faso, Asseta, partilhou a sua luta com os investigadores do NRC: “Quando não temos nada para cozinhar, colho folhas e cozinho-as em água”, disse ela, conforme citado no comunicado da organização.

Egeland enfatizou a crescente dificuldade em chegar aos necessitados devido às estradas perigosas e aos serviços aéreos mínimos, proibitivamente caros.

“Os doadores devem dar prioridade às áreas que estão fora da vista para garantir que não ficam fora da mente”, apelou.

O NRC afirma que cerca de 6,3 milhões de pessoas necessitarão de assistência humanitária em 2024, com mais de dois milhões permanecendo deslocados internamente.

Centenas de civis já foram mortos em ataques este ano, incluindo cerca de 170 em três aldeias em março, e aproximadamente 30 em ataques separados a mesquitas e igrejas em fevereiro.

O relatório do CNR observou que muitas crises negligenciadas estão interligadas, com efeitos em cascata para além das fronteiras que afetam os países vizinhos e, por vezes, causando impactos regionais mais amplos.

A competição pelos recursos entre refugiados e comunidades locais, motivada pela falta de fundos, também pode causar tensão.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Burkina Faso é nomeada a crise mais negligenciada do mundo, de novo no site CNN Brasil.



Fonte da Notícia

Share Article:

Considered an invitation do introduced sufficient understood instrument it. Of decisively friendship in as collecting at. No affixed be husband ye females brother garrets proceed. Least child who seven happy yet balls young. Discovery sweetness principle discourse shameless bed one excellent. Sentiments of surrounded friendship dispatched connection is he. Me or produce besides hastily up as pleased. 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Edit Template

About

Appetite no humoured returned informed. Possession so comparison inquietude he he conviction no decisively.

Recent Post

  • All Post
  • Arte e Lazer
  • Cultura
  • Destaque
  • Educação
  • Esportes
  • Futebol
  • Novidades
  • Sem categoria
  • Social Media
  • Sports
  • Videos

© 2024 Criado em 2004