Bem vindo ao CanalNoite A Sua Noite Passa por Aqui + de 20 anos no ar

Want to Partnership with me? Book A Call

Popular Posts

Dream Life in Paris

Questions explained agreeable preferred strangers too him her son. Set put shyness offices his females him distant.

Hot

Categories

Edit Template

Corinthians encaminha acordo de R$ 1,1 bilhão com Liga Forte União por direitos de TV – 27/06/2024 – Esporte


O Corinthians tem encaminhado um acordo com a LFU (Liga Forte União) para a venda de seus direitos de televisão do Campeonato Brasileiro em um contrato R$ 1,1 bilhão por de cinco anos (2025-2030), cerca de R$ 220 milhões por ano, mais luvas (bônus pela assinatura do vínculo).

Antes de anunciar o acerto, a negociação ainda precisa ser aprovada pelo CORI (Conselho de Orientação) do clube paulista. O presidente corintiano, Augusto Melo, já convocou uma reunião para tratar do assunto.

A negociação avançou nas últimas horas em meio à escalada da crise no Parque São Jorge, dentro e fora de campo. Enquanto o time está na zona de rebaixamento do Nacional, a diretoria tem convivido com uma série de problemas extracampo. O mais recente foi uma invasão da torcida nesta quinta-feira (27), quando membros da principal torcida organizada do clube invadiram o CT do Parque Ecológico e, depois, fizeram o mesmo na sede social da equipe, onde tiveram um encontro com Augusto Melo.

A polícia precisou ser chamada para garantir a segurança do dirigente e dos demais funcionários do time. Em nota, o clube repudiou a ação. “Por sempre ter estabelecido um diálogo aberto e idôneo com todas as torcidas organizadas do clube, a diretoria repudia veementemente os atos de hoje”.

A Liga Forte União é o grupo que reúne Internacional, Cruzeiro, Fluminense, Vasco, Athletico-PR, Atlético-GO Botafogo, Fortaleza, América-MG, Cuiabá, Criciúma e Juventude, na Série A; além de Goiás, Sport, Ceará, Avaí, Chapecoense, Coritiba, CRB, Vila Nova, Londrina, Tombense, Figueirense, CSA e Operário-PR em divisões inferiores.

As tratativas envolvendo os direitos de transmissão do grupo são intermediadas pela Livemode, uma agência de marketing e produtora.

A empresa tem adotado uma tática diferente para negociar as propriedades comerciais do bloco. Em vez de comercializar todos os direitos com um único grupo como fez a Libra —da qual fazem parte times como Flamengo, Palmeiras e São Paulo—, tem como ideia criar pacotes de jogos para oferecer a emissoras e plataformas de “streaming”.

No entendimento do grupo, dessa forma, seria possível arrecadar valores mais altos do que os alcançados pelo modelo adotado pela concorrente. Até o momento, nenhum pacote foi comercializado.

“O foco da LFU é a maximização das receitas dos jogos envolvendo seus clubes como mandantes, além da valorização de longo prazo do produto. O PPV [‘pay-per-view’] é uma das opções e será comparado com as demais pela LFU para se chegar à melhor solução”, afirmou o bloco de clubes em nota.

A equipe do Parque São Jorge também negociou com a Libra, mas não chegou a um acordo com o bloco, que já tem um contrato assinado com a TV Globo.

Além dos dois blocos, a agência de marketing esportiva Brax foi outra que apresentou uma proposta, com um valor acima de R$ 200 milhões por ano.

Desde o início de seu mandato, Augusto Melo afirmou que fecharia um acordo nos primeiros meses do ano, mas, diante das ofertas e de sua promessa à torcida de buscar o maior valor possível, arrastou as negociações ao longo de todo o semestre.

A demora chegou a causar uma irritação nas partes interessadas nos direitos do clube, sobretudo a Libra, pois a situação estava prejudicando a busca da TV Globo por parceiros comerciais para a competição. A presença do Corinthians em um pacote muda a forma de vender o certame nacional para anunciantes.

Hoje estão na Libra —e têm acerto com a Globo— os seguintes clubes da primeira divisão nacional: Atlético-MG, Bahia, Flamengo, Grêmio, Vitória, Palmeiras, Red Bull Bragantino e São Paulo. Outras 11 formam a Liga Forte União, que ainda não tem acordo de TV.

Sem o Corinthians, a Globo também vê sob risco o modelo de negócios do Premiere, seu serviço de pay-per-view do Campeonato Brasileiro.

Atualmente, o serviço de “pay-per-view” do Grupo Globo tem como pilar a oferta de 361 das 380 partidas do campeonato —não há acordo do Athletico Paranaense com o Premiere—, com aproximadamente metade dos jogos exibidos exclusivamente —geralmente, são cinco por rodada.

Mantido o cenário que no momento se desenha para 2025, o Premiere só teria a garantia de um jogo exclusivo a cada duas rodadas. A situação dependeria do cruzamento dos times e de quais deles seriam os mandantes a cada jornada, porém, de qualquer maneira, seria uma queda brusca.

No acordo celebrado entre Globo e Libra, com duração de cinco anos (2025 a 2029), incluindo direitos de transmissão em TV aberta e fechada, está previsto o pagamento de R$ 1,3 bilhão por ano, num total de R$ 6 bilhões pelas cinco temporadas.

Além desses valores, é descrito um repasse para os clubes de acordo com o faturamento do Premiere, que não está especificado no contrato justamente porque a emissora ainda não consegue prevê-lo. As partes tratam esse pagamento como um valor extra.



Fonte da Notícia

Share Article:

Considered an invitation do introduced sufficient understood instrument it. Of decisively friendship in as collecting at. No affixed be husband ye females brother garrets proceed. Least child who seven happy yet balls young. Discovery sweetness principle discourse shameless bed one excellent. Sentiments of surrounded friendship dispatched connection is he. Me or produce besides hastily up as pleased. 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Edit Template

© 2024 Criado em 2004