Bem vindo ao CanalNoite A Sua Noite Passa por Aqui + de 20 anos no ar

Want to Partnership with me? Book A Call

Popular Posts

Dream Life in Paris

Questions explained agreeable preferred strangers too him her son. Set put shyness offices his females him distant.

Hot

Categories

Edit Template

Estádio do Flamengo desafia mobilidade do Rio – 27/06/2024 – Esporte


O projeto do Flamengo de construir um estádio no centro do Rio de Janeiro impõe desafios ao funcionamento da cidade e de toda a região metropolitana, especialmente na mobilidade, afirmam técnicos em urbanismo.

O Flamengo deve confirmar a compra do terreno do Gasômetro, em São Cristóvão, por meio de leilão. O clube planeja o início das obras no primeiro semestre de 2025.

O terreno, administrado pelo Fundo de Investimento Imobiliário da Caixa Econômica Federal, foi desapropriado pelo prefeito Eduardo Paes (PSD) em decreto publicado no Diário Oficial do município na segunda-feira (24).

A previsão do clube e da prefeitura é que o edital seja publicado até o fim de julho e que a compra seja confirmada até setembro.

O principal problema apontado é de tráfego. O terreno a ser adquirido pelo clube carioca fica ao lado da rodoviária do Rio de Janeiro e no encontro entre as principais vias do Rio: avenida Brasil, Linha Vermelha e ponte Rio-Niterói.

Essas vias conectam a capital aos municípios da Baixada Fluminense, a Niterói e a São Gonçalo. Fazem ainda ligação com outros estados. O fluxo diário de caminhões, carretas e ônibus é intenso.

O Flamengo deseja construir um estádio com capacidade para 80 mil pessoas.

“O estádio seria um polo gerador de tráfego. A implementação de um estádio ali impactaria o trânsito não só da cidade mas de toda a região metropolitana. A infraestrutura que existe ali já não dá conta do fluxo de veículos que passam diariamente pela região”, afirmou Filipe Ungaro Marino, professor-adjunto do departamento de arquitetura e urbanismo da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro).

Juciano Rodrigues, economista e pesquisador do Observatório das Metrópoles, apontou que o estádio pode impactar de forma desigual a população carioca.

“Essa é uma das decisões mais equivocadas em termos de planejamento urbano na história da cidade”, afirmou.

“Metade dos ônibus intermunicipais que circula na região metropolitana faz a ligação do município do Rio com a Baixada por ali. Junto com esse impacto geográfico há um impacto social. Essa população que trabalha na área central ou trabalha no centro é uma população de baixa renda. A maioria é de moradores da Baixada, da zona norte suburbana, da zona oeste.”

O terreno do Gasômetro fica em frente ao terminal intermodal Gentileza, inaugurado neste ano. O terminal conecta linhas de ônibus municipais, VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos), transporte que circula apenas na região central, e o BRT, que leva passageiros das zonas norte e oeste para o centro da cidade.

A estação de trem urbano mais próxima do Gasômetro é a Praça da Bandeira, que fica a 2 km, uma caminhada de cerca de 26 minutos. A distância é a mesma para a estação de metrô Cidade Nova.

“O fluxo de um estádio necessita de transporte de massa. Ali tem o terminal Gentileza e a rodoviária, que recebem os ônibus. Ônibus são categorizados como transporte de pequena a média capacidade. Num equipamento como um estádio são no mínimo 40 mil pessoas chegando no mesmo horário, saindo no mesmo horário”, afirmou Themis Aragão, professora de arquitetura e urbanismo do Ibmec.

A área onde o Flamengo pretende construir o novo estádio abrigou por quase cem anos a central de armazenamento de gás do Rio de Janeiro. O Gasômetro foi desativado em 2006, por causa da substituição do gás manufaturado pelo gás natural.

O local ficou famoso por um suposto plano de militares de explodi-lo e pôr a culpa em militantes da esquerda, durante o regime militar. O plano, denunciado pelo então capitão Sérgio Ribeiro Miranda de Carvalho, o Sérgio Macaco (1930-1994), ficou conhecido como caso Para-Sar.

Desde 2000, quando as atividades no Gasômetro começaram a diminuir, gestões municipais passaram a pensar em dar novo uso ao terreno. Um dos planos à época já era a construção de um equipamento esportivo.

O terreno esteve nos últimos anos sob a guarda da Caixa Econômica Federal, vinculado ao Fundo de Investimento Imobiliário do banco. A Caixa tinha a expectativa de negociar a área com o mercado imobiliário e não avançou nas tratativas com o Flamengo.

O prefeito Eduardo Paes (PSD) encabeçou o projeto a partir de fevereiro e, ao lado do deputado federal Pedro Paulo (PSD), favorito para a vaga de vice na chapa da situação nas eleições de outubro, solucionou o impasse com a desapropriação. Desde março Paes vinha afirmando que tomaria uma decisão unilateral caso a Caixa não flexibilizasse a negociação.

“O Flamengo esteve aberto para que a prefeitura pudesse estabelecer uma série de encargos, como projeto de melhoria viária e reformulação dos passeios públicos e do sistema de transporte”, afirmou o deputado federal Pedro Paulo (PSD).

“Uma ideia bem recebida foi a história de ter ali um centro de convenções de médio porte. A cidade precisa. Isso é algo que tem sido discutido e tem avançado.”

O Plano Diretor do Rio de Janeiro prevê regras para a construção. A primeira delas é o estudo de impacto de vizinhança, que ainda não foi realizado. Dirigentes do Flamengo afirmam que o clube já tem projetos de engenharia e mitigação de trânsito. Esses estudos, contudo, não foram divulgados.

Outro obstáculo é a descontaminação do terreno, onde funcionou uma empresa de armazenamento de gás. O Flamengo vai precisar de licenças ambientais do Inea (Instituto Estadual do Ambiente).

O plano é que a obra seja aprovada por meio do mecanismo chamado Transferência do Direito de Construir. O Flamengo cederia o potencial construtivo da sede da Gávea para reduzir o custo do terreno do Gasômetro. O clube carioca acredita que precise desembolsar cerca de R$ 150 milhões no leilão.



Fonte da Notícia

Share Article:

Considered an invitation do introduced sufficient understood instrument it. Of decisively friendship in as collecting at. No affixed be husband ye females brother garrets proceed. Least child who seven happy yet balls young. Discovery sweetness principle discourse shameless bed one excellent. Sentiments of surrounded friendship dispatched connection is he. Me or produce besides hastily up as pleased. 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Edit Template

About

Appetite no humoured returned informed. Possession so comparison inquietude he he conviction no decisively.

Recent Post

  • All Post
  • Arte e Lazer
  • Cultura
  • Destaque
  • Educação
  • Esportes
  • Futebol
  • Novidades
  • Sem categoria
  • Social Media
  • Sports
  • Videos

© 2024 Criado em 2004