Bem vindo ao CanalNoite A Sua Noite Passa por Aqui + de 20 anos no ar

Want to Partnership with me? Book A Call

Popular Posts

Dream Life in Paris

Questions explained agreeable preferred strangers too him her son. Set put shyness offices his females him distant.

Hot

Categories

Edit Template

Rapper Macklemore critica Biden ao lançar música em apoio aos atos pró-Palestina


Em uma música lançada de forma surpresa, o rapper Macklemore elogiou os estudantes universitários dos EUA que protestam contra a guerra em Gaza, e prometeu que não votará no presidente Joe Biden em novembro.

A música, lançada na segunda-feira, é intitulada “Hind’s Hall” em referência ao novo nome que os manifestantes pró-palestinos da Universidade de Columbia deram a um prédio que ocuparam no campus.

Com o seu lançamento, o rapper vencedor do Grammy torna-se um dos primeiros grandes artistas musicais a condenar explicitamente a ajuda contínua do governo dos EUA a Israel e a elogiar os estudantes que protestam contra os investimentos financeiros das suas universidades em empresas ligadas a Israel em campi nos EUA.

“O problema não são os protestos, é o que eles estão protestando”, canta Macklemore. “Isso vai contra o que nosso país está financiando.”

Macklemore ecoa os sentimentos dos manifestantes pró-palestinos que dizem que se recusarão a votar em Biden nas eleições presidenciais deste ano devido ao seu apoio contínuo a Israel.

Tem havido preocupação entre os democratas de que a perda de apoio entre os jovens eleitores frustrados com a forma como Biden lidou com a guerra possa custar-lhe a eleição e ver o ex-presidente Donald Trump voltar ao cargo.

A música também critica a polícia enviada pelas universidades para reprimir os protestos nos campi universitários.

Várias das faculdades que pediram a intervenção da polícia disseram que os acampamentos eram ilegais e que as reitorias tentaram negociar com os estudantes manifestantes antes do envolvimento da polícia.

Quando os manifestantes se recusaram a se movimentar na Universidade da Califórnia em Los Angeles, a polícia pareceu usar balas de borracha contra eles.

Na Universidade do Arizona, as forças da lei usaram bolas de pimenta e balas de borracha nos manifestantes.

Ação da polícia no campus da UCLA / Reuters

Em todos os EUA, manifestantes pró-Palestina têm ocupado gramados e edifícios nos campi, e muitos estão pedindo que as suas universidades deixem de investir em Israel.

Vários acampamentos de manifestantes foram dispersados pela polícia, resultando em mais de 2.300 detenções em escolas em todo o país.

Muitos dos detidos em protestos universitários eram estudantes, alguns dos quais foram banidos dos seus campi e enfrentam expulsão.

Algumas destas manifestações nos campus inspiraram grandes contraprotestos em apoio a Israel.

O significado do título ‘Hind’s Hall’

Hind’s Hall, o nome que os manifestantes pró-palestinos deram ao Hamilton Hall de Columbia, foi batizado em homenagem à criança palestina Hind Rajab, que foi encontrada morta em Gaza depois de ficar presa em um carro com seis de seus parentes.

Hind Rajab / Sociedade do Crescente Vermelho Palestino/Twitter (X)

Eles estavam fugindo dos combates no norte de Gaza quando seu veículo foi atacado por Israel, informou a CNN anteriormente.

Hind e todos os outros passageiros do veículo, incluindo os quatro filhos de seu tio, morreram, junto com dois trabalhadores da ambulância enviados para resgatá-los.

As letras de Macklemore fazem referência às mais de 13.800 crianças que foram mortas em Gaza desde o início da guerra.

A canção pede aos ouvintes, bem como aos políticos, funcionários universitários e colegas artistas que não se manifestaram contra a violência em Gaza, que considerem o custo humano da guerra: “E se você estivesse em Gaza? E se esses fossem seus filhos? Se o Ocidente estivesse fingindo que você não existia?”

Macklemore chama a indústria musical de cúmplice e diz que apoia uma “Palestina livre”.

Em “Hind’s Hall”, Macklemore acusa a indústria musical de ser “cúmplice de (sua) plataforma de silêncio”, ele canta.

Ele é provavelmente o único grande artista a escrever uma música sobre o conflito.

Manifestantes invadem Hamilton Hall, na Universidade de Columbia / REUTERS

Vários músicos notáveis ​​assinaram a carta Artists 4Ceasefire dirigida a Biden, incluindo Dua Lipa, Jon Batiste e Selena Gomez.

A cantora escocesa Annie Lennox também pediu verbalmente um cessar-fogo durante uma apresentação no Grammy em fevereiro.

Macklemore disse através de seus canais de rede social que quando a música for lançada em streaming, todos os lucros irão para a agência da ONU para refugiados palestinos.

Macklemore tem apoiado abertamente os palestinos desde o ano passado. Menos de duas semanas após o ataque de 7 de outubro ao sul de Israel liderado pelo Hamas, que resultou na morte de pelo menos 1.200 pessoas e na tomada de mais de 250 reféns, ele compartilhou uma postagem na qual lamentava a perda de vidas tanto em Israel e Gaza.

“Meu coração dói profundamente pelos israelenses que perderam entes queridos para tal abominação”, escreveu ele sobre o ataque de 7 de outubro.

”Mas matar humanos inocentes em retaliação como punição coletiva não é a resposta. É por isso que apoio as pessoas de todo o mundo que pedem um cessar-fogo.”

Mais tarde na postagem, ele escreveu: “Eu defendo uma Palestina Livre e o fim do genocídio iminente de seu povo”.

Na mesma postagem, ele fez referência à polêmica afirmação de que criticar o governo israelense é antissemita.

“Posso amar de todo o coração (sic) os meus irmãos e irmãs judeus e, ao mesmo tempo, condenar o governo israelita pelos seus assassinatos em massa e pelo Apartheid.”

Macklemore também apareceu numa marcha pró-Palestina em Washington, em novembro. Numa publicação no Instagram partilhada após o evento, ele disse que ficou animado com “jovens judeus e muçulmanos marchando lado a lado, cantando palavras de resistência juntos”.

Macklemore já enfrentou acusações de antissemitismo antes. Em 2014, ele usou o que chamou de “fantasia aleatória” de nariz grande falso e barba preta espessa para surpreender os espectadores de Seattle.

Vários detratores, incluindo Seth Rogen, chamaram seu traje de antissemita, o que levou Macklemore a “reconhecer como o traje poderia, dentro de um contexto de estereótipos, ser atribuído a uma caricatura judaica”.

O rapper fez declarações políticas ao longo de sua carreira. Ele foi indicado ao Grammy pela música “Same Love”, de 2012, que defendia a igualdade LGBTQ e o apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Em 2016, ele apareceu em um remix da música “FDT, Pt. 2”, que significa “F*da-se Donald Trump”.

Macklemore continuou a falar contra Trump depois que ele assumiu o cargo. E os manifestantes nos campi universitários ainda se manifestam contra a guerra em Gaza, mesmo depois de algumas universidades terem cancelado ou alterado as formaturas e já terem disciplinado colegas manifestantes.





Fonte da Notícia

Share Article:

Considered an invitation do introduced sufficient understood instrument it. Of decisively friendship in as collecting at. No affixed be husband ye females brother garrets proceed. Least child who seven happy yet balls young. Discovery sweetness principle discourse shameless bed one excellent. Sentiments of surrounded friendship dispatched connection is he. Me or produce besides hastily up as pleased. 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Edit Template

About

Appetite no humoured returned informed. Possession so comparison inquietude he he conviction no decisively.

Recent Post

  • All Post
  • Arte e Lazer
  • Cultura
  • Destaque
  • Educação
  • Esportes
  • Futebol
  • Novidades
  • Sem categoria
  • Social Media
  • Sports
  • Videos

© 2024 Criado em 2004